A REVISTA GUITAR PLAYER NORTE-AMERICANA FOI FUNDADA DURANTE O VERÃO DE 1967 QUANDO JIMI HENDRIX PÔS FOGO NA SUA STRATOCASTER EM MONTEREY E DETONOU UMA REVOLUÇÃO NA GUITARRA ELÉTRICA. EM TRÊS DÉCADAS, DESDE AS CHAMAS SAGRADAS DE JIMI, MILHARES DE ÁLBUNS DE GUITARRAS FORAM LANÇADOS E, EMBORA MUITOS APENAS OSCILARAM POR UM MOMENTO NO OUVIDO DO PÚBLICO, OUTROS MARCARAM REGISTROS PERMANENTES NA CABEÇA DOS GUITARRISTAS.
SEIS EDITORES DA GP NORTE-AMERICANA - JOHNSTON, GORE, OBRECHT, ROTONDI, THOMPSON E ELLIS - VASCULHARAM AS SUAS MEMÓRIAS, COLEÇÕES DE DISCOS, NÚMEROS ATRASADOS E LIVROS DE REFERÊNCIAS PARA DESCOBRIR OS MELHORES DISCOS DE GUITARRA DOS ÚLTIMOS 30 ANOS. A PARTIR DAÍ, HOUVE UM GRANDE ESFORÇO PARA ESCOLHER O SINGLE MAIS IMPORTANTE E INFLUENTE PARA CADA ANO. "MISSÃO IMPOSSÍVEL", VOCÊ DIRIA? ANDY ELLIS CHEGOU A ARGUMENTAR CONTRA O CONCEITO JORNALÍSTICO DE COLOCAR UM SINGLE DE UM DISCO SOBRE OUTRO. NO ENTANTO, OS DEMAIS MEMBROS DA "COMISSÃO JULGADORA" DECIDIRAM INSISTIR NO CARA-OU-COROA INTELECTUAL E PROVÁVEL DILÚVIO DE CARTAS DO TIPO "COMO VOCÊS PUDERAM DEIXAR DE FORA...?", NA ESPERANÇA QUE AS ESCOLHAS POSSAM INSPIRAR OS GUITARRISTAS A BUSCAREM A MÚSICA ESSENCIAL. A SURPRESA, AO FINAL, FOI QUE A LISTA DOS ESCOLHIDOS COMBINA COM A ÊNFASE EDITORIAL DA GUITAR PLAYER NO QUE DIZ RESPEITO AO ECLETISMO. DOS RENEGADOS DAS CORDAS DE NYLON AOS FUSIONISTAS E PUNKS PRIMAIS, AS ESCOLHAS TOP E VICE-CAMPEÃS CONFRONTAM AS POSSIBILIDADES DO INSTRUMENTO COM UMA INDIVIDUALIDADE SEM COMPROMISSO.

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

MEGADETH, Riffs de Guitarra & Política

Banda americana liderada pelo temperamental Dave Mustaine retorna dois anos após o último show com guitarrista novo

MEGADETH - Banda está em turnê promovendo o disco United Abominations, de forte crítica política
JOTABÊ MEDEIROS

É só mais um show, diz o vocalista e dono do Megadeth, Dave Mustaine, com um mau humor de cão. Dá uma entrevista a contragosto, e é monossilábico e quase deselegante. Mas o rock'n'roll tem dessas coisas, e Mustaine e sua banda Megadeth são dos bons atos do rock pesado internacional. São sempre recomendáveis para quem gosta do gênero. Eles tocam esta noite no Credicard Hall, com grande afluxo de fãs (até ontem, tinham sido vendidos 4,5 mil ingressos dos 7 mil lugares da casa), dois anos após sua última apresentação na cidade, no mesmo lugar. Mustaine, ao telefone, estava intratável, e então soltou apenas alguns comentários guturais sobre colegas ("Korn? Não acho que seja metal. É hip-hop") e o retorno do grupo ao Brasil. Falou que a banda está com um guitarrista novo, Chris Broderick (que já tocou com Nevermore e Jag Panzer), substituindo Glen Drover (que largou a banda em novembro; alguns dizem que por conta de uma briga com Mustaine, mas Dave diz que a mulher de Glen teve um filho e ele preferiu ficar em casa com o rebento). Broderick estreou no grupo no dia 4 de fevereiro, em show na Finlândia.
Além de Mustaine e Chris Broderick, o Megadeth desembarca com o baterista Shawn Drover e o baixista James LoMenzo (ex-Black Label Society e White Lion). LoMenzo entrou para ficar por pouco tempo e acabou integrando definitivamente a banda, e participando da gravação do novo disco, United Abominations, lançado no ano passado. Já está há dois anos no grupo, que tem 25 de estrada.
"Tem sido um arraso. Eu comecei pensando que só ia fazer um disco com eles, e agora nós estamos excursionando e tem sido demais. Nós lançamos o novo disco e os fãs estão sendo super-receptivos. É como um renascimento para o Megadeth, e isso é fabuloso", afirmou o baixista.
United Abominations, como o trocadilho sugere, é um comentário político sobra a ação das Nações Unidas, que Mustaine considera "pífia". Não é a única música com endereço certo: Washington Is Next! é destinada aos homens que comandam a terra natal do cantor. Amerikastan, como o nome diz, faz referência à política de intervenções dos Estados Unidos no Oriente Médio.
EM BUENOS AIRES, GUITARRISTA TOCOU HINO NACIONAL DA ARGENTINA
Animal político desde os primórdios de seu grupo, Dave Mustaine não faz, no entanto, um comentário definitivo sobre o atual momento eleitoral do país. "O que sei é o que vejo na televisão. Não sei muito, não sei se estou preparado. Gosto de Obama, mas não me sinto à vontade para comentar", disse.
Para James LoMenzo, o rock do Megadeth perdura e segue adiante por um motivo muito simples: ele não se desvia de sua motivações originais. "Se você me perguntar em que tipo de música as novas gerações devem focar, eu diria que elas devem olhar para trás. Elas devem ir atrás de bandas como Led Zeppelin. Caras como Jimi Hendrix. Entender de onde nós viemos, ouvir tudo aquilo; mesmo se não conseguir captar inicialmente, vai captar uma hora. Deem tempo ao tempo. Ouçam e aprendam."
O Megadeth vem de shows em Buenos Aires e Santiago. Em Buenos Aires, Chris Broderick tocou na guitarra o hino nacional argentino antes do início do show, causando uma catarse. CADERNO 2 (5/6/2008)

Nenhum comentário:

Postar um comentário